Setcesul é atuante em pautas do transporte terrestre na região

Prestes a completar 30 anos de história, no dia 16 de novembro, o Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários de Cargas do Extremo Sul (Setcesul) é atuante em diversas pautas importantes para a comunidade do transporte da região. Uma das que mais se destaca é a luta pela modificação do sistema de cobrança de pedágio que opera no sul do estado.


Segundo o presidente Rudimar Cachapuz Puccinelly, à frente da entidade há três anos, o alto custo para se locomover nas rodovias da região reflete diretamente no transporte de cargas, principalmente ao Porto de Rio Grande e na economia regional. “Estudos afirmam que é mais barato viajar de carro de Porto Alegre até Mato Grosso do Sul – cerca de R$ 34 em 1,4 mil quilômetros (km) – enquanto de Rio Grande até a capital é gasto cerca de R$ 36,90 para 300 km”, enfatiza.


Outro destaque é a negociação do sindicato com a Prefeitura de Pelotas e a participação na elaboração da nova mobilidade urbana municipal. “Os nossos caminhões podem estacionar em qualquer lugar e pagam o valor de um automóvel. Além disso, negociamos com outras prefeituras, como de Rio Grande e Chuí quanto à questão do estacionamento”, diz.


O Executivo de Rio Grande doou um terreno próximo à Marinha para a construção da sede do Serviço Social do Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (SEST SENAT), instituição parceira na realização de palestras e eventos voltados ao público, considerando um complemento da outra – incluindo participação no Conselho Regional. A obra deve iniciar no próximo ano.


“O sindicato tem um projeto de criação de um porto seco em Pelotas. Já tem alguns anos, para fazer uma iniciativa público-privada, aonde o município entraria com uma área e a privada construiria uma estrutura. Cada empresa construiria sua parte e junto viria postos de combustível, hotéis, borracharia, restaurante e a prefeitura não daria mais alvará para empresas de transporte que se instalassem dentro do perímetro urbano. Com isso, diminuiria o tráfego de caminhões grandes dentro da cidade”, afirma.


O Setcesul conta com assessoria jurídica, consultoria especializada em transportes de produtos perigosos com engenheira química e realiza o registro e renovação do Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Cargas (RNTRC) mediante convênio com a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), além de ser um dos 13 sindicatos que formam a Federação das Empresas de Transporte de Carga e Logística no RS (Fetransul). As reuniões da diretoria são realizadas todas as segundas terças-feiras do mês.


Atualmente, o sindicato abrange 21 cidades, representando 2,3 mil empresas. Os municípios são Pelotas, Rio Grande, São José do Norte, Santa Vitória do Palmar, Pedro Osório, Tavares, Mostardas, São Lourenço do Sul, Pinheiro Machado, Santana da Boa Vista, Capão do Leão, Canguçu, Caçapava do Sul, Lavras do Sul, Piratini, Bagé, Pinheiro Machado, Herval, Jaguarão, Hulha Negra e Arroio Grande.


O sindicato luta pelos interesses da comunidade e do setor e ressalta a importância da participação de todos nas tomadas de decisões. “A união faz a força, uma categoria unida faz a coisa andar, temos que nos unir cada vez mais”, finaliza.

Leave A Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo