Reunião de Diretoria discute negociações coletivas e frete mínimo

Reunião de Diretoria discute negociações coletivas e frete mínimo

A Fetransul realizou reunião de Diretoria em sua sede no dia 02 de maio. Na pauta do encontro, as convenções coletivas e o frete mínimo. O presidente Afrânio Kieling deu início aos trabalhos ressaltando a necessidade da troca de experiências sobre as negociações das convenções coletivas entre os Sindicatos e a coordenação da Federação, com o propósito de se estabelecer uma visão coordenada, sobretudo tendo em vista a realidade econômica do país e a nova legislação trabalhista, que excluiu a obrigatoriedade do desconto e/ou pagamento das contribuições assistenciais.

Os presidentes dos Sindicatos concordam que a Fetransul deve promover estes encontros e centralizar as informações do andamento das negociações nas bases territoriais de cada Entidade. Kieling ressaltou que existe a necessidade de haver consenso nos limites das negociações das cláusulas econômicas, respeitando-se as características de cada região.

Sobre o frete mínimo, o diretor executivo, Gilberto Rodrigues, explicou a política da FETRANSUL para esta questão, baseada na análise da nova tabela divulgada pela ISALQ-LOG/ANTT , que será apresentada nas audiências públicas em cinco estados: PA,PE,SP,RS e DF. A Fetransul contratou o Eng. Lauro Valdivia para analisar e comparar a nova tabela da ANTT juntamente com empresários TRC e a Federação dos Autônomos. Houve várias reuniões em que se analisou o modelo matemático utilizado e as variáveis que compõem os cálculos. Chegou-se à conclusão de que o trabalho realizado pela ESALQ-LOG/ANTT é coerente com a realidade, com inconsistências irrelevantes no resultado do valor de frete mínimo.  A FETRANSUL elaborará documento em conjunto com a FECAM para ser entregue à ANTT, onde validará os cálculos, porém propondo a alteração dos seguintes pontos: a definição de carga lotação; os contratos com agregados, que observam critérios diferentes do resultado da equação;  quantidade de eixos X km rodado. Além destes itens, também será proposta a exigência do cumprimento da tabela para aqueles casos em que a empresa contrata somente o caminhão-trator, acoplando o seu semirreboque e ainda, a revisão do critério no emprego de  semirreboques que possuem três eixos , sendo um afastado, conhecidos por “vanderleia”. O texto final do ofício à ANTT será apresentado na primeira audiência pública, em Belém do Pará.

Participantes da Reunião

Afrânio Kieling –  presidente FETRANSUL

Rudmar Cachapuz, Paulo Augusto Mota de Oliveira, Nelson Ricardo Vergara –presidente e diretores do SETCESUL

Octavino Pivoto – SIVERCARGA

Paulo Rogério Brondani  -SINDISAMA

João Jorge Couto da Silva – SETCERGS

Moisés Antonio Knopf dos Santos – SINDICAR

Glademir Zanette – SETNOROESTE

Frank Woodhead e Gilberto Rodrigues – FETRANSUL

Advogados: Raquel Caleffi, Ronaldo Vanin , Emocir Otavio Rorato, Josana Rivoli

Topo